Arrendamento Social – Os Bairros

Encontram-se sob a nossa administração, desde Fevereiro de 2005, quatro bairros, a saber: Bairro “Sá Carneiro”, em Leiria; Bairro Pinhal da Vila em Salvaterra de Magos; Bairro da Cevadeira em Nisa; Bairro Gulbenkian em Odivelas.

O valor patrimonial atualizado dos fogos é de 10.206.236,90 € assim distribuídos:

Total (212 fogos)10.206.236,90 €
Leiria (145 fogos)7.520.446,13 €
Salvaterra de Magos (33 fogos)823.580,55 €
Nisa (7 fogos)310. 398,79 €
Odivelas (27 fogos)1.551.811,43 €

 

A gestão que fazemos dos nossos empreendimento, é uma gestão de proximidade que visa, em última instância, a autonomização dos agregados familiares através do trabalho, da promoção da educação / formação de todos os elementos da família e da sua organização não só como elementos constituintes do grupo família como do bloco / rua ou comunidade em que se inserem. Visamos, em resumo, a formação de cidadãos válidos, intervenientes, solidários. E fazemo-lo quer actuando autonomamente quer através do estabelecimento de parcerias.

Neste âmbito intervimos nos seguintes níveis:

Gestão administrativa/financeira:

  Identificar as necessidades de habitação dos candidatos a uma habitação social, estabelecer prioridades e adequá-las às disponibilidades existentes;
  Promover a celebração de contratos de arrendamento;
  Constituir os Processos das Famílias;
  Adequar os rendimentos das famílias às rendas a aplicar;
  Determinar as rendas dos fogos;
  Controlar o pagamento mensal das rendas e proceder à sua actualização anual;
  Negociar com as famílias o pagamento das rendas em atraso através da celebração de Acordos de Regularização de Dividas;
  Diligenciar, em colaboração com os Serviços Jurídicos, a recuperação do locado e dos valores em divida, sempre que o processo negocial se esgote sem resultados;
  Organizar a constituição de condomínios;
  Constituir os processos relativos à gestão patrimonial e organizacional dos condomínios.

Gestão social das famílias:

  Estabelecimento de uma relação de proximidade com os moradores – criação de um clima de confiança para uma intervenção activa e eficaz;
  Conhecer, analisar e promover as competências das famílias para uma vida em espaço colectivo, em condições de higiene, saúde, segurança e respeito mútuo;
  Cooperar com as instituições locais no sentido de ultrapassar os constrangimentos identificados e promovendo a inclusão social;
  Analisar a dimensão das famílias e adequá-la à tipologia dos fogos;
  Proceder sempre que possível ao desdobramento dos agregados familiares em sobrelotação;
  Proceder à recolha de roupas, calçado, brinquedos, material escolar e outro para distribuição pelos moradores mais carenciados;
  Realização de actividades conjuntas para criação de empatias e contribuir para um clima de boa vizinhança.

Para cada intervenção social é elaborado um Plano de Acção, pelo Técnico Social com as tarefas a realizar, periodicidade e responsabilidade pela sua execução.

Recuperação/Manutenção do património:

  Elaboração de um Cadastro para cada bloco/fogo que permita a identificação das acções de manutenção preventiva, a realizar de forma periódica, nomeadamente:
  O planeamento das acções preventivas/controlo a realizar para manter a adequação dos bens ou infra-estruturas;
  O registo do histórico das intervenções efectuadas.